Bahia, 20 de Maio de 2024
Por: CNN Brasil
09/06/2023 - 06:00:00

Pessoas que pontuam muito em testes de inteligência geralmente estão associadas a respostas mais rápidas a perguntas simples, quando comparadas a indivíduos menos inteligentes. No entanto, quando as questões se tornam mais desafiadoras, a situação é invertida: aqueles de QI alto demoram mais para respondê-las – mas têm mais chances de acertar a resposta.

A descoberta faz parte de um estudo publicado recentemente na revista Nature Communications e que foi conduzido pelo Instituto de Saúde de Berlim (BIH, na sigla em inglês), pelo Hospital Universitário Charité e por um colega em Barcelona.

“Queremos entender como o cérebro toma decisões e por que elas acontecem de maneira diferente em pessoas diferentes”, disse a pesquisadora Petra Ritter ao portal do BIH.

Ritter e seus colegas utilizaram modelos de rede cerebral para simular a conectividade do cérebro dos indivíduos, combinando-os com dados digitais de imagens cerebrais (como ressonância magnética) e conhecimento teórico sobre processos biológicos na forma de modelos matemáticos.

Inicialmente, esses passos resultaram em um modelo “geral” de cérebro humano, que os pesquisadores especificaram com medições individuais de participantes e, assim, obtiveram modelos cerebrais personalizados.

Para o estudo, eles trabalharam com os dados de 650 participantes do Human Connectome Project, uma iniciativa americana que estuda as conexões nervosas do cérebro humano desde 2010. A ideia era entender como essas conexões se comportavam quando desafiadas e em repouso.

“É o equilíbrio certo entre estimulação e inibição entre as células nervosas que influencia as decisões e, assim, mais ou menos permite que as pessoas resolvam problemas”, explicou Ritter.

Veja + Reportagem Especial