Bahia, 06 de Outubro de 2022
Por: CNN Brasil
08/09/2022 - 06:03:32

Os preços do petróleo caíram acentuadamente na quarta-feira, aprofundando uma liquidação que já trouxe alívio aos motoristas na bomba de gasolina.

O petróleo dos EUA caiu 5,1%, para US$ 82,41 o barril nas negociações recentes. Esse é o menor preço intradiário desde 24 de janeiro. O petróleo dos EUA caiu mais de um terço desde que atingiu brevemente US$ 130 o barril no início de março.

O petróleo Brent, referência mundial, caiu abaixo de US$ 90 o barril pela primeira vez desde 8 de fevereiro. O Brent caiu recentemente 4,6%, para US$ 88,55 o barril.

A venda ocorre poucos dias depois que a Opep e seus aliados, conhecidos coletivamente como Opep +, reverteram o curso cortando a produção para sustentar os preços.

Analistas citaram uma série de fatores por trás das perdas desta quarta-feira (7), incluindo preocupações com a saúde da economia mundial e a disparada do dólar americano. Um dólar americano mais forte tende a enfraquecer a demanda por petróleo no exterior.

“Os altos preços já estão começando a pesar na economia europeia, e os temores de contágio estão causando uma violenta venda nos preços do petróleo hoje”, disse Matt Smith, analista de petróleo líder das Américas da Kpler.

A boa notícia é que a queda do preço do petróleo deve continuar reduzindo os preços para o consumidor na bomba de gasolina.

Desde que atingiu US$ 5,02 o galão em 14 de junho, a média nacional do gás normal caiu 85 dias seguidos. Um galão de regular agora vale US$ 3,76, uma queda de 31 centavos em relação ao mês passado, de acordo com a AAA. Existem agora 15 estados com média de US$ 3,50 ou menos, incluindo Carolina do Norte, Iowa e Flórida.

Tom Kloza, chefe global de análise de energia do Serviço de Informações sobre Preços do Petróleo, está cético de que a queda nos preços da energia continuará – especialmente devido às recentes ameaças do presidente russo Vladimir Putin e outros funcionários do Kremlin, que disseram que poderiam retaliar o Ocidente cortando das exportações de energia.

“Putin indicou que fará coisas malucas”, disse Kloza. “Este é um interlúdio, uma oportunidade de compra. Há uma falsa sensação de segurança.”

Respondendo ao teto do preço do petróleo anunciado pelo G7 para o petróleo russo, Putin disse que seu país poderia reduzir as exportações a zero.

“Não forneceremos nada se for contrário aos nossos interesses, neste caso econômicos”, disse Putin na quarta-feira. “Nem gás, nem petróleo, nem óleo de aquecimento – não forneceremos nada.”

Outro risco é que os preços do petróleo caiam para níveis que forçam a Opep+ a responder com mais força, controlando agressivamente a produção após o pequeno corte de produção de segunda-feira.

“O movimento da Opep+ foi uma ameaça não tão velada de que eles estão prontos para defender os preços”, disse Kloza. “Estamos chegando a números em que sauditas, emirados e kuwaitianos estariam dispostos a reduzir a produção”.

Veja + Reportagem Especial