Bahia, 16 de Junho de 2024
Por: Ascom/ Veracel Celulose
27/09/2023 - 05:18:04

Há 18 anos, a Veracel Celulose, empresa que opera no Sul da Bahia, monitora o período de desova das tartarugas marinhas em mais de 35 quilômetros de praias em sua região de atuação. Na última temporada reprodutiva das espécies existentes localmente, que ocorreu entre os meses de setembro de 2022 e abril de 2023, a equipe de monitoramento registrou 18.656 ovos e o nascimento de cerca de 11 mil filhotes. 

O levantamento feito pelo Programa de Monitoramento de Quelônios da Veracel levantou 222 ocorrências reprodutivas durante a temporada. A maioria delas, 183 casos, foi de tartarugas que prepararam o ninho e realizaram a postura de ovos. O restante das ocorrências foi de animais que foram até a praia, mas não chegaram a preparar os ninhos, com 39 casos.

Após a confirmação da postura dos ovos, o monitoramento efetuado pelo programa da Veracel sinaliza os locais de desova e realiza a avaliação da permanência do ninho no local originalmente escolhido pela fêmea. Caso esses ninhos estejam em áreas de risco, que podem comprometer os filhotes, eles são transferidos pela equipe especializada para um local seguro na mesma praia. 

Nessa última temporada reprodutiva, foi necessário transferir apenas 25 ninhos para locais mais seguros, e a grande maioria pôde seguir o seu ciclo natural no local onde os ovos foram depositados pelas fêmeas. O programa, executado em alinhamento com as diretrizes do Centro TAMAR/ICMBio, prevê a menor quantidade de intervenção possível ao curso natural do processo reprodutivo.

Nas últimas seis temporadas de desova acompanhadas pela Veracel, foram registrados mais de 100.000 nascimentos de tartarugas na região do monitoramento da empresa.

Estimativa de mais de 11 mil filhotes nascidos 

Dentre as ocorrências com desova, um total de 164 ninhos foi acompanhado com sucesso. Os demais foram predados por animais, tiveram perdas ocasionadas pela maré ou enfrentaram outras dificuldades naturais. Foram contabilizados 18.656 ovos, com média de 113 ovos por ninho. Desse total, a estimativa é de que nasceram 11.704 filhotes de tartarugas, tendo em vista que 6.952 ovos se mantiveram íntegros nos ninhos, sem sinais de eclosão.

A estimativa de filhotes nascidos nesta temporada está menor do que na temporada de 2021/2022, que teve uma estimativa de 14 mil nascimentos. A variação, no entanto, está dentro das expectativas para o período reprodutivo, tendo em vista que, segundo especialistas da consultoria especializada responsável pelo monitoramento, a variação no quantitativo de nascimentos é natural e está associada ao comportamento reprodutivo de cada indivíduo e espécie. 

Existem cinco espécies de tartarugas marinhas no Brasil. Todas já tiveram registro de desova na região do monitoramento. Nesta temporada, os ninhos da espécie tartaruga-cabeçuda (Caretta caretta) foram os mais predominantes. Em seguida, vieram os ninhos de tartaruga-oliva (Lepidochelys olivacea) e de tartaruga-verde (Chelonia mydas). A tartaruga-oliva e a tartaruga-cabeçuda constam na Lista Nacional das Espécies Ameaçadas de extinção, respectivamente nas categorias Vulnerável e Em Perigo (Portaria MMA Nº 148, de 7 de junho de 2022). Na temporada deste ano, também houve ninhos de espécies que não puderam ser determinadas.

Com relação aos eventos não reprodutivos (encalhes), a temporada 2022/2023 registrou 50 ocorrências. Entre elas, 46 da espécie tartaruga-verde (Chelonia mydas), uma da espécie tartaruga-cabeçuda (Caretta caretta), e três tartarugas não identificadas.

Primeiro Centro de Reabilitação de Tartarugas Marinhas do Extremo Sul da Bahia

O Centro de Reabilitação de Tartarugas Marinhas foi instalado no Terminal Marítimo de Belmonte, de propriedade da Veracel, e já está em operação. O espaço, que tem capacidade para reabilitar até quatro animais ao mesmo tempo, em uma área total de 600 m2, vem sendo operado por uma empresa especializada contratada pela Veracel Celulose. 

“Sermos responsáveis pelo primeiro Centro de Reabilitação de Tartarugas Marinhas do extremo sul da Bahia é uma conquista de muita importância para o meio ambiente e nos permitirá oferecer um atendimento rápido e especializado para as tartarugas, além de todo o cuidado até sua recuperação e reintrodução em seu habitat natural”, destaca Tarciso Matos, coordenador de Meio Ambiente da Veracel. “O local também será habilitado para diagnosticar as causas de mortes das tartarugas, o que nos permitirá gerar indicadores consistentes que contribuirão muito com possíveis novas ações de educação ambiental e de proteção das espécies no Sul da Bahia”, complementa o executivo.

O local é o único na região autorizado a reabilitar esses animais para que possam ser reinseridos no meio ambiente. A inauguração formal ocorrerá em breve.

Sobre a Veracel Celulose

Veracel Celulose celebrou 31 anos de atuação em 2022. Com a fábrica em Eunápolis, no Sul da Bahia, a companhia integra operações florestais, industriais e de logística em mais 10 outros municípios da região. Responsável pela produção 1,1 milhão de toneladas de celulose/ano, 100% da madeira utilizada no processo produtivo é certificada ou controlada em conformidade aos princípios e critérios de padrões normativos internacionais. Com 50% de participação cada, seus acionistas são duas grandes no setor de celulose e papel em âmbito internacional: a brasileira Suzano e a sueco-finlandesa Stora Enso.

A Veracel é considerada como uma das melhores empresas para se trabalhar na Bahia. Além dos mais de 100 mil hectares de área protegida ambientalmente, é guardiã da maior reserva particular de Mata Atlântica do Nordeste brasileiro e recebeu o Certificado de Serviços Ecossistêmicos do Forest Stewardship Council® - FSC® C017612, emitido no Brasil pela certificadora Imaflora.

São 3.191 empregos diretos e cerca de 16 mil beneficiados pelas iniciativas de educação, saúde e geração de renda todos últimos anos. Ser responsável, inspirar pessoas e valorizar a vida é o nosso propósito!

Veja + Notícias/Geral