Bahia, 20 de Maio de 2022
Por: Lume Comunicação
11/05/2022 - 06:09:31

O glaucoma é a principal causa de cegueira irreversível no mundo. Para a Organização Mundial da Saúde, em 2040, mais de 111 milhões de pessoas terão este diagnóstico. No Brasil, a doença ocular atinge mais de 900 mil indivíduos, segundo o Ministério da Saúde. Nos últimos anos, a pandemia potencializou ainda mais as estatísticas. Ela provocou a evasão de pessoas dos consultórios oftalmológicos, fazendo com que caísse em 30% o número de exames para detecção precoce da doença. Por isso, mais do que nunca, a campanha Maio Verde se torna importante, já que visa o diagnóstico do glaucoma em estágio inicial e a sua conscientização.

Especialista no assunto, o médico oftalmologista Rogério Vidal, do DayHORC – empresa que integra o Grupo Opty na Bahia, explica que “o glaucoma é uma doença degenerativa, causada principalmente pela elevação da pressão intraocular. Existem vários tipos de glaucoma, sendo o glaucoma primário de ângulo aberto o mais comum.  Pelo fato de ser uma doença silenciosa, na maior parte das vezes o paciente não sente dor, coceira, ardência ou qualquer incômodo visual. Outro tipo é o glaucoma de ângulo fechado, neste a pressão intraocular eleva-se mais rapidamente, podendo levar a sintomas como dor ocular e cefaleia. Caso não tenha o tratamento adequado e em tempo hábil, pode levar à cegueira total”, detalha o médico.

O grupo de risco é composto por pessoas com mais de 40 anos, quem tem histórico familiar, pessoas de etnia africana ou asiática, indivíduos que sofreram lesões físicas no olho, uso excessivo de medicamentos a base de corticoides e outras condições médicas. Estudos indicam que o diabetes e a hipertensão arterial podem potencializar o surgimento do glaucoma.

Tratamento e prevenção

Embora não tenha cura, o glaucoma pode ser controlado com tratamento adequado e contínuo, fazendo com que a perda da visão seja interrompida. “Na maioria dos casos, é necessário o uso de colírios diariamente para controle. Com o avanço de novas tecnologias, hoje é possível oferecer ao paciente um tratamento mais moderno, com aplicação de laser ou procedimento cirúrgico. Com a tecnologia, novas técnicas foram desenvolvidas e hoje já existem as cirurgias minimamente invasivas, como o iStent, que apresentam menor taxa de complicações e tempo de recuperação mais curto”, conta Rogério Vidal.

A recomendação do médico é taxativa: “todo o indivíduo, desde a primeira infância, deve fazer check-up oftalmológico anualmente. Caso haja necessidade, o oftalmologista solicita também a aferição da pressão ocular e o exame de fundo de olho, que irão indicar suspeitas em casos iniciais ou mesmo detectará casos moderados e avançados. Avaliações funcionais, relacionadas ao campo visual, e anatômicas (como retinografia e tomografia de coerência ótica) também podem ser requisitadas. Existe ainda a gonioscopia, capaz de determinar o tipo de glaucoma que o paciente tem, o que vai dar direcionamento sobre o prognóstico e tratamento necessários”, enfatiza o especialista em glaucoma. O oftalmologista ainda faz outra ressalva. “Deve-se também ter sempre hábitos de vida saudáveis e se atentar para o uso indiscriminado de colírios compostos por corticoides, facilmente adquiridos nas farmácias e que podem causar glaucoma de difícil controle”, conclui.

Sobre o Opty

O Grupo Opty nasceu em abril de 2016, a partir da união de médicos oftalmologistas apoiados pelo Pátria Investimentos, que deu origem a um negócio pioneiro no setor oftalmológico do Brasil. O grupo aplica um novo modelo de gestão associativa que permite ampliar o poder de negociação, o ganho em escala e o acesso às tecnologias de alto custo, preservando a prática da oftalmologia humanizada e oferecendo tratamentos e serviços de última geração em diferentes regiões do País. Nesse formato, o médico mantém sua participação nas decisões estratégicas, mantendo o foco no exercício da medicina.

Atualmente, é o maior grupo de oftalmologia da América Latina, agregando 25 marcas associadas, 79 unidades, 1300 médicos oftalmologistas e 2800 colaboradores atuando em todas as regiões do país. Além das marcas próprias HOBrasil (BA, DF, RJ e SP) e Centro Oftalmológico Dr. Vis (DF, PE, RJ e SC), fazem parte dos associados: o Hospital Oftalmológico de Brasília (DF), Hospital de Olhos INOB (DF), Hospital de Olhos do Gama (DF), Visão Hospital de Olhos (DF), Instituto de Olhos Freitas (BA), o DayHORC (BA), Instituto de Olhos Villas (BA), Oftalmoclin (BA),  Hospital de Olhos Santa Luzia (AL), Hospital de Olhos Sadalla Amin Ghanem (SC), Centro Oftalmológico Jaraguá do Sul (SC), Sadalla.Smart (SC), HCLOE (SP), Visclin Oftalmologia (SP), EyeCenter Oftalmologia (RJ), COSC (RJ), Oftalmax Hospital de Olhos (PE), UPO Oftalmologia – Unidade Paulista de Oftalmologia (SP), HMO – Hospital Medicina dos Olhos (SP), Visão Center (PE), OftalmoDiagnose (BA) e CEOP – Centro de Olhos do Pará (PA).

Veja + Notícias/Geral