Bahia, 20 de Maio de 2022
Por: agazetabahia
25/01/2022 - 12:59:18

Inaugurada no ano de 2004, como símbolo da Educação Infantil da Costa do Descobrimento, com a presença da Rainha Sílvia, da Suécia, com toda pompa, e demais autoridades, como o presidente da Veracel Celulose, diretores, e jornalistas do mundo inteiro, a Escola Rainha Sílvia, localizada no distrito de Barrolândia, município de Belmonte, se transformou em um destroço, jogada ao descaso, e destruída pelos vândalos.

Apesar de a Escola, já ter sido repassada para a alçada do Município de Belmonte, uma espécie de descarte dos projetos sociais e educacionais da empresa, assim como os projetos Instituto Veracel, Ser Criança, Sementinha, o Curso de Formação dos Atores do Sistema de Garantias de Diretos das Crianças e Adolescentes voltado para o enfrentamento à violência sexual de crianças e adolescentes, criado em 2013, a destruição da Escola Rainha Sílvia, é um fato vergonhoso, que merece o repúdio da sociedade, e a reprovação das autoridades.
Nossa reportagem ainda no decorrer de hoje, estará entrando em contato com a assessoria da Rainha Sílvia, na Suécia, encaminhando fotografias da Escola, que um dia, ela mesma cortou a fita de inauguração e plantou uma pequena árvore de Pau Brasil.

A imagem ganhou o mundo, e sensibilizou a todos.
Na época, a Veracel divulgava para a sociedade, que as iniciativas adotadas pela empresa, era por acreditar que a Educação era uma importante base para a transformação e desenvolvimento das comunidades, e que, através dos seus projetos estava dando oportunidades para os jovens desta região.

Hoje, a realidade é outra. A empresa mudou seus focos, abortou os projetos educacionais e sociais. Está trancada em suas novas vertentes, sem as mesmas relações e parcerias com a sociedade e com os municípios onde atua.

Em outubro de 2006, a Veracel encerrava o projeto "Ser Criança".

Veja + Notícias/Geral