Bahia, 29 de Janeiro de 2022
Por: CNN Brasil
13/01/2022 - 08:16:40

O mundo bateu um novo recorde de registro diário de casos de Covid-19 nesta terça-feira (11).

Nas últimas 24 horas, o mundo registrou, de acordo com a plataforma Our World in Data, 3,28 milhões de novas infecções pelo coronavírus.

É a primeira vez que o registro diário pandêmico ultrapassa a casa dos 3 milhões.

A marca supera o recorde anterior, atingido no último dia 5, quando 2,59 milhões de casos de Covid-19 foram registrados em um dia.

O número crescente de infecções é ligada por especialistas ao espalhamento da variante Ômicron, que é transmitida com mais facilidade que formas anteriores do vírus. De acordo com previsões da Organização Mundial da Saúde (OMS), ela deve tornar-se a cepa dominante em vários locais do mundo nas próximas semanas.

O número, divulgado nesta terça (11), foi puxado pelos Estados Unidos, que voltaram a registrar mais de 1 milhão de casos diários. Foram 1.483.656 novas infecções nas últimas 24 horas, segundo a Universidade Johns Hopkins.

O número representa novo recorde no país, que havia contabilizado cerca de 1,1 milhão de casos na segunda-feira (3) da semana passada. No total, os EUA registram 61.558.085 infecções pelo novo coronavírus desde o início da pandemia, liderando com folga o ranking mundial.

As autoridades de saúde americanas atribuem o avanço da Covid-19 à variante Ômicron. Segundo o Centro de Controle de Doenças (CDC) dos EUA, a nova cepa já representa cerca de 60% das infecções no país.

As hospitalizações por Covid-19 têm preocupado as autoridades americanas. Segundo dados do Departamento de Saúde e Serviços Humanos, mais de 141 mil americanos estão internados com a doença, muito próximo do recorde de 142.246 observado há um ano.

Apesar do crescimento dos casos, o número de mortes é mais baixo que em outros momentos da pandemia do coronavírus – foram contabilizadas  6.383 nas últimas 24 horas. O recorde de mortes em um dia foi registrado em 26 de janeiro de 2021, com 17.442.

No dia 4 de janeiro, o gerente de incidentes da OMS, Abdi Mahamud, afirmou que a entidade vê evidências de que a Ômicron, apesar de mais transmissível, pode causar sintomas mais leves. “Estamos vendo mais e mais estudos apontando que a Ômicron infecta a parte superior do corpo. Diferente das outras, que podem causar pneumonia grave”, afirmou.

A vacinação, segundo especialistas, ainda é a forma mais eficaz de evitar infecções graves, mortes e hospitalizações pela Covid-19, e manter o quadro vacinal atualizado é essencial.

Veja + Notícias/Geral