Bahia, 19 de Outubro de 2020
CONDENADO DESRESPEITA A JUSTIÇA

Mesmo condenado pela Justiça, apoiador da candidata do DEM, conhecido como Claudão continua afrontando a decisão do Juiz
Mesmo condenado pela Justiça Eleitoral, por propaganda eleitoral negativa, através das redes sociais, Cláudio Roberto Menezes, conhecido como Claudão, apoiador da candidata a prefeita de Eunápolis pelo Democratas, continua desrespeitando a Decisão do Juiz Eleitoral, Benedito Alves Coelho.
Por: A Gazeta Bahia
14/10/2020 - 07:05:39

Mesmo condenado pela Justiça Eleitoral, por propaganda eleitoral negativa, através das redes sociais, Cláudio Roberto Menezes, conhecido como Claudão,  apoiador da candidata a prefeita de Eunápolis pelo Democratas, continua desrespeitando a Decisão do Juiz Eleitoral, Benedito Alves Coelho,  fazendo uso de suas páginas, e promovendo campnhas negativas e criminosas, de forma irregular e abusiva, afrontando à legislação eleitoral.
Cláudão continua, conforme prints em anexo, fazendo uma verdadeira campanha difamatória contra a imprensa e contra o prefeito Robério Oliveira, candidato à reeleição.

A Decisão do Juiz, aponta que Claudão, postava mensagens ofensivas à honra e à imagem do candidato, através das redes sociais, na tentativa de influenciar o eleitorado, entendendo o Juiz, que o réu, feriu as regras e normas legítimas em um Estado Democrático de Direito, e que a Justiça Eleitoral não permite que tais práticas ilegal perseverem.

O Juiz determinou também a notificação das empresas Facebook e Google, para que, no prazo de 24 horas tornem indisponível o conteúdo veiculado nos links informados, sob pena de  multa diária  de R$ 30 mil reais, tendo em vista, a gravidade dos fatos.
Mesmo condenado por fazer postagens abusivas e criminosas, Claudão parece que não não se importou, continua afrontando o Juiz, e pipocando o prefeito abertamente, a imprensa, e rasgando elogios a candidata Cordélia Torres.

Apoiadores da candidata, estão extrapolando nas redes sociais, fazendo o que bem entendem, agredindo e promovendo ataques pessoais de forma criminosa, aos olhos da sociedade e da Justiça.

Vejam os prints abaixo:

Veja + Notícias/Geral